Informe sobre a venda do Lifecenter

Publicado em

Em dezembro, o Agros iniciou o processo para encerrar sua participação no Lifecenter, que acontecia em dois segmentos de investimentos previstos pela Resolução 4.661 do Conselho Monetário Nacional para as entidades fechadas de previdência privada. O Agros detinha 23,07% no segmento imobiliário e 33,45% das cotas no segmento de Fundos de Participação.

Venda do Hospital

No dia 9 de dezembro, o Hospital Lifecenter foi vendido para a NotreDame Intermédica Saúde S.A por R$ 240 milhões.

O Hospital é o único ativo controlado pelo Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia (FIP) Minas Gerais, que tem como cotistas o Agros, a Forluz – Fundação Forluminas de Seguridade Social, a Desban - Fundação BDMG de Seguridade Social e a Unimed-BH.

O valor da venda será pago aos cotistas do Fundo, descontando-se o endividamento líquido e uma parcela retida para contingência.

O Agros encontrava-se com um desenquadramento passivo no investimento do FIP Minas Gerais, o que gerou uma determinação de desinvestimento pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar - Previc.

O FIP Minas Gerais tem a Lacan Investimentos como gestora, que possuía autorização (“mandato”) para realizar o desinvestimento, ou seja, a venda do ativo. Para ser efetivada, a operação de venda depende ainda da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade.

Venda do imóvel

O Agros também vendeu o seu quinhão no imóvel onde funciona o Hospital.  A venda foi feita para a Martins Barros Imóveis Ltda., no dia 2 de dezembro, por R$ 24.675.000,00, valor acima da última avaliação de mercado do imóvel.

A opção pela venda da participação no imóvel busca atender a Resolução CMN 4.661/2018, que determina que as entidades de previdência complementar vendam o estoque de imóveis, conforme seu Artigo 37:

“§ 5º Em até doze anos, a contar da entrada em vigor desta Resolução, as EFPC deverão alienar o estoque de imóveis e terrenos pertencentes à sua carteira própria ou constituir FII para abrigá-los, não se aplicando, neste caso, o limite estabelecido na alínea "e" do inciso II do art. 28”,

 

As vendas tanto do Hospital quanto do imóvel são investimentos do Agros que fazem parte do patrimônio dos planos previdenciários A (CLT) e B (RJU).

 

Agros: previdência, saúde e qualidade de vida no presente e no futuro!